31.1.11



O telefone tocou, era ele. "Cheguei". Finalmente. Corri para a porta tal como estava e abri-a com o maior sorriso na cara. Não o consegui encontrar e aquele sorriso seguro, foi-se desfazendo e pequenas gotinhas escorriam-me pelo rosto. Do lado de fora encontrava-se apenas um pequeno vaso. Fiquei imóvel, sem reacção. "Onde estás ?". Não respondeu, ouvia apenas o som acelerado do seu respirar. Senti uma aperto, fiquei sem fôlego. Apercebi-me que ele não estava, que acabara de chegar ao outro lado do mundo, e naquele momento senti-me pequena, fraca e sozinha como aquele pequeno vaso. E aquelas 24 horas que tinham passado, foram um sufoco. Desliguei o telemóvel e atirei-o contra a parede branca do meu quarto. A tua voz fazia-me mal, a tua ausência causava-me tantos problemas que nem eu própria sabia o que fazer. Acho que nunca me vou habituar a esta rotina, sem a tua presença. Que por muito que queira, vais estar sempre presente em tudo. Que por muito que queira não consigo rasgar o passado, muito menos o coração.

5 comentários:

juca ♥ disse...

awww, que lindo ♥

Bruno Alves disse...

Adorei! Está muito sentido (: Sigo ;)

rita sousa. disse...

tshé, está excelente! gosto mesmo. post lindo. (;

Teresa disse...

Adorei!!
sigo! :)

daniela dias disse...

lindo *-*
vou seguir.