27.1.12

Visto de fora pareciam duas cabeças na tangente. Descrição: uma, com a mão esquerda por de trás da camisola, soltava suspiros melancólicos com ar pérfido. Sinceramente não suscitava grande interesse à flor da pele, apesar de criar lentamente um bicho sugador. Coscuvilhice apoderada por gerações infantis. Típico. Aquele oxigénio, que até à altura largava um aroma fraco, havia sido consumido pela primeira alma que se tornara ténue. 
A segunda, a suposta dominante, ficara fleumática. Dizia não dormir à noites, e realçava ainda mais aquele respirar sem oxigénio. Aquele não ar. De longe observava-se as manchas roxas por de baixo dos olhos inchados. E boatos corriam as ruas da noite: os loucos de lisboa, diziam. 
Por dentro daquelas duas almas que se encontravam perdidas, amor ou não, havia história. E cá fora, os espectadores batiam palmas antes de conhecerem o final.



16 comentários:

sam disse...

deixas-me paralisada

inês disse...

adorei!

mai disse...

Gostei muito

mai disse...

De nada (:

Francisca. disse...

*.* adorei, escreves tão... bem :D

Car Hendrix disse...

Cool blog! Following you..if you want we can follow each other
Car
http://www.waytheby.blogspot.com/

Filipa disse...

Bem adorei este texto, escreves mesmo muito bem (:

catarina disse...

adorei, vou seguir :)

Filipe Ribeiro disse...

isto sim é fantástico... completamente... As tuas palavras são tão... familiares... e adoro isso*
and thank you dear*

Andreia' disse...

Adorei! Escreves mesmo bem querida! (:

sam disse...

pessoas que me irritam, aquele(a) que nós sabemos. awww, e linda? linda és tu!

sam disse...

e a mim, fds.

Aurora disse...

obrigada coração<3

Maíra Cunha disse...

Gostei muito! estou seguindo!
http://fazdecontatxt.blogspot.com

sam disse...

e eu tenho imensa vontade de te abraçar a ti!

Mónica Sousa disse...

lindo *o*