29.2.12


Hoje escrevo-te porque parece que fui atacada. Não por uma pessoa em especial mas pelo mundo, que me julgou com olhares e me sufocou com suspiros. Atacada por momentos nostálgicos, também. O impossível bateu-me à porta. Não que se note com olhos de ver.. mas sim com olhos de quem sente. Até hoje escondi bem o meu interior. De certa forma ele sempre esteve bem guardado, com pesos de consciência e cenas sufocantes. Eu não gosto de apontar o dedo.. mas eles tornaram o invisível no visível; aquelas almas que me fixavam o olhar, pareciam penetrar os olhos no meu corpo, extraindo tudo o que até então tinha ficado entalado no coração. Ainda assim consigo rir de toda esta situação, um rir apertado e irónico. Preciso da tua compreensão.

19 comentários:

AMIGODOPORTO disse...

inquietante

Joana. ou Alice. disse...

Que bonito *-*

sophie disse...

adoro <3

Joana. ou Alice. disse...

Oh, obrigada meu amor, muito obrigada :')

sophie disse...

muito muito obrigada querida :)

inês disse...

adorei! *

claire disse...

obrigada:)) quando a nostalgia nos bate à porta..

sam disse...

adoro-te, daqui até á lua, muitooo

Joana Filipa disse...

que texto maravilhoso o:
gosto muito do blog *-*
vou seguir-te :)
passa pelo meu também* : http://deitudodemim.blogspot.com/

Leonor disse...

força*
estou a seguir-te.

Joana Filipa disse...

obrigada linda.

silver disse...

que texto mais fofo, sem dúvida.

mary . disse...

gosto tanto deste cantinho * , vou seguir *-*

han disse...

um rir que não é fácil, entendo..

silver disse...

óh docinho, obrigada eu.
ps: amo amo amo o teu blog, estou viciada!

mary . disse...

ainda bem que gostas-te Bruni .

Filipe Ribeiro disse...

as tuas palavras são borboletas para o meu estômago, acredita* força dear*

diaana stëinke. disse...

força. *
adorei o teu blog, e o que escreves, identifico-me em alguns textos teus.
sigo. *

sóphia tudo-quer disse...

vês com o teu músculo, como lhe chamas; que deleito, conquistaste-me