23.3.12


O meu corpo ainda não aguenta rotinas nocturnas. Às vezes levanta, outras cai. Às vezes vem e vai. Outras vezes vem e fica.. e bloqueia a noite amarela que aparece por detrás dos nossos corpos desnivelado. Um sentado e outro de pé. Um em marte, outro em vénus, sintonizados em vão, às vezes. Não consigo acompanhar uma alma que vagueia sozinha pela escuridão, por isso deixo-te pedaços de mim que ficaram no que resta de ti. Assim que tiveres saudades sorri, encontro-te em sonhos, se não te perderes entretanto.

8 comentários:

sophie disse...

adoro querida :)

mariana disse...

força linda. percebo-te muito bem*

tat disse...

este texto fez-me cortar a respiração, é mesmo muito sentido

Anastasie disse...

está muito bonito mesmo.

sophie disse...

não tens de quê, obrigada eu querida :)

tatiana costa disse...

muito, mas mesmo muito obrigada bruni

sam disse...

não anjo, não tinhas dito. oh, é sempre tão bom quando escreves sobre o mate

Joana sn disse...

adoro e sigo